Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Alzira Soriano, uma mulher sem medo
Uma Mulher sem Medo
JANIA MARIA SOUZA DA SILVA

Resumo:
“Política Brasileira e primeira mulher eleita para dirigir uma prefeitura no Brasil e na América Latina no ano de 1928”

Alzira Soriano como é conhecida a potiguar Luísa Alzira Teixeira Soriano nasceu na cidade de Jardim de Angicos no dia 29 de abril de 1897, no estado do Rio Grande do Norte, localizado na região nordeste do Brasil e ficou conhecida como a primeira mulher a ser eleita para governar um município.
Faleceu em 28 de maio de 1963 na mesma cidade em que veio ao mundo com 67 anos de idade vitimada por um câncer.
Uma mulher notável que quebrou o tabu da figura feminina exercer Cargo Público Administrativo de Prefeito em seu país. Foi eleita através do voto direto com sessenta porcentos dos votos válidos.
Uma mulher exemplar e admiravél por fazer enfrentamento ao código machista imposto também na política, que vetava a figura feminina o direito ao voto e à candidatura a cargos públicos elegivéis pelo sufrágio direto. Foi uma luta árdua, que lhe concedeu a vitória por sua persistência, lealdade e coragem imbatível. Na época, seu opositor um major da região, não conseguiu suplantar seu carisma, reforçado pelos votos femininos e o apoio das sufragistas, mulheres que lutavam organizadamente pelo direito ao voto.
Alzira Soriano manteve contato com a sufragista e cientista brasileira de renome Bertha Lutz e sob sua orientação lançou sua canditatura à Prefeitura do Município de Lajes, interior do estado. Esse registro da chapa eleitoral só foi possível por causa de uma brecha na lei estadual em 1928 que determinava: “No Rio Grande do Norte poderão votar e ser votados, sem distinção de sexos, todos os cidadãos que reunirem as condições exigidas por esta lei”.
Apenas quatro anos depois é que as demais brasileiras teriam direito ao voto através do Código Eleitoral de 1932.
Fatos comprovados pelos depoimentos abaixo transcritos do artigo - Memória: Alzira Soriano, a primeira prefeita do Brasil da autoria de Luiza Villaméa, publicado na revista Brasileiros, edição de 27 de setembro de 2016:
“Alzira disputou em 1928, aos 32 anos, as eleições para prefeito de Lajes, cidade do interior do Rio Grande do Norte, pelo Partido Republicano, vencendo o referido pleito com 60% dos votos. Foi a primeira mulher da América Latina a assumir o governo de uma cidade, segundo notícia publicada na época pelo jornal norte-americano “The New York Times”.
“Alzira exerceu o cargo por apenas um ano, pelo então Partido Republicano. Em 1930, descontente com a eleição de Getúlio Vargas, ela deixou a função. Apenas dois anos depois disso, em 1932, mulheres conquistariam o direito de votar. Em 1947, voltou a exercer um mandato de vereadora do município de Jardim de Angicos, cargo para o qual foi eleita três vezes.”
“À frente de um gabinete formado apenas por homens, Alzira investiu em obras de infraestrutura, como estradas e iluminação pública, mas ficou pouco tempo no posto. Caiu depois da ascensão de Getúlio Vargas ao Palácio do Catete, voltando à vida pública junto com a redemocratização de 1945. Foi eleita vereadora por duas vezes consecutivas.
Naqueles tempos, ela nem sonhava que em 2016 mais de 30% dos candidatos a prefeito e vereador do Brasil seriam mulheres.”

Alzira Soriano, uma trajetória de luta e garra

Ao ficar viúva aos 22 anos em 1918 de Thomaz Soriano de Souza vitimado durante a epidemia da Gripe Espanhola, encontrava-se grávida e com duas filhas para criar, além da administração da fazenda “Primavera” com todos os seus encargos. Vaqueiros, plantação, os problemas climáticos da região e a inconveniente, à época, condição de ser mulher.
Não pode tremer em suas bases. Mal teve tempo para enxugar as lágrimas. Arregaçou os brios. Desencaixotou a coragem e a persistência e foi a luta da sobrevivência. Por si, pelas filhas, pela fazenda e por todos que dependiam dela, inclusive o gado.
Foram dez anos de luta e aprendizagem forjando seu caráter na rudeza da caatinga.
Conhecedora dos seus direitos, não permitiu que ninguém a pisasse.
Respeitada por todos por seu carisma, liderança, profissionalismo em uma época em que as mulheres não recebiam elogios.
Transformou sua vida e deu subsídio à construção das vidas que dela dependiam para se afirmarem em seus destinos.
Dez anos, passaram-se, aos 32 anos consegue abrir novos caminhos. Não apenas para si, mas para as mulheres da América Latina.
A essa mulher exemplar, Alzira Soriano, a gratidão de todas as gerações femininas.






Museu Alzira Soriano

Museu no Rio Grande do Norte
________________________________________
Endereço: Tv. Francisco Nobre, 36, Jardim de Angicos - RN, 59544-000



Fonte e referência de pesquisa e fotos:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Alzira_Soriano
http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/11/80-anos-antes-de-dilma-alzira-soriano-abriu-espaco-feminino-no-executivo.html
http://www.psdb.org.br/mulher/memoria-alzira-soriano-a-primeira-prefeita-do-brasil/
http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2013/Marco/semana-da-mulher-primeira-prefeita-eleita-no-brasil-foi-a-potiguar-alzira-solano
http://vermelho.org.br/noticia/287411-1
https://blogdodudulajes.blogspot.com.br/2011/08/casa-que-alzira-soriano-morou-em-lajes.html?showComment=1511034143019#c565967543736221993


Biografia:
JANIA SOUZA, potiguar da cidade de Natal, bancária da Caixa, economista, contadora, ativista cultural, poeta, escritora, artista plástica. Sócia Fundadora da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN (SPVA/RN), onde exerceu os cargos de Coordenação Geral; Direção Executiva; Direção de Eventos; atualmente integra o Conselho Fiscal. Organizou as edições da ANTOLOGIA LITERÁRIA da SPVA/RN, volumes 01, 02, 04 e 05, encontra-se a organizar o vol. 06. Participação em várias coletâneas nacionais, inclusive na Komedi e na Nau Literária. Pacifista e voluntária no Projeto Fraldinha, que promove a construção de uma consciência cidadã em crianças a partir dos 04 anos até jovens com mais de 20 através da prática do esporte futebol, xadrez e palestras. Sócia da UBE/RNA; AJEB/RN; Clube dos Escritores de Piracicaba. Afirma que a arma da vida é a leitura. Contato: www.janiasouzaspvarncultural.blogspot.com
Número de vezes que este texto foi lido: 946


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Antes do Apocalipse JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Poesias Ser Sublime JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Infantil A Abelhinha Jurema JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Biografias Alzira Soriano, uma mulher sem medo JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Poesias Rosa Encantada JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Poesias Receituarium JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Poesias O Trem do Velho Engenho JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Contos O SANTO SEPULCRO JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Biografias NÍSIA FLORESTA JANIA MARIA SOUZA DA SILVA
Poesias FAZ TÃO POUCO TEMPO JANIA MARIA SOUZA DA SILVA

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 65.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Amores! - 40424 Visitas
TOMO TUDO - sigmar montemor 39886 Visitas
Lamento - FERNANDO 39668 Visitas
Desabafo - 39381 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 38106 Visitas
Faça alguém feliz - 37561 Visitas
Vivo com.. - 36766 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 36390 Visitas
eu sei quem sou - 35718 Visitas
MENINA - 35534 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última