Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
GRILO NA CUCA
Saulo Piva Romero

ERA UMA VEZ UM GRILO CHAMADO ANTENOR.
ESSE GRILO TINHA CABEÇA GRANDE, OLHOS COMPOSTOS, LONGAS ANTENAS E UMA BOQUINHA QUE MASTIGAVA RAPIDAMENTE OS ALIMENTOS.
ELE VIVIA ARRASTANDO SUAS ASAS PARA CHAMAR A ATENÇÃO DAS CIGARRAS DA MATA ONDE ELE HABITAVA.
ANTENOR CAMINHAVA SEMPRE COM UM VIOLINO DEBAIXO DAS ASAS, POIS, ELE ERA UM GRANDE VIOLINISTA.
POR ONDE ELE CAMINHAVA SEMPRE TOCAVA E CANTAVA. MAS, NEM TODOS OS BICHOS DA MATA ONDE ELE MORAVA ERA SEU FÃ. O SEU CANTO ACOMPANHADO DO SOM DO SEU VIOLINO COMEÇOU A IRRITAR UMA ARANHA CHAMADA ANDRUXA
ANDRUXA ERA UMA ARANHA MUITO MALVADA E ERA CONHECIDA COMO A ARANHA BRUXA.
ELA GOSTAVA DE FOFOCAR SOBRE A VIDA DE TODOS OS BICHOS DA MATA, MAS, A SUA VÍTIMA PREFERIDA ERA O ANTENOR, O GRILO VIOLINISTA.
CERTO DIA, A ARANHA FOI RECLAMAR DO COMPORTAMENTO DO GRILHO PARA O REI DA FLORESTA.
- MAJESTADE, EU NÃO ESTOU MAIS SUPORTANDO O BARULHO ENSURDECEDOR QUE O ANTENOR ESTÁ FAZENDO LÁ PARA AS BANDAS ONDE EU TECI A MINHA TEIA PARA MORAR.
ESSE GRILO COM O SEU CANTO VIBRANTE COM A AJUDA DO SEU VIOLINO COMPLETAMENTE DESAFINADO ESTÁ PERTURBANDO A MINHA PAZ E O MEU SONO.
E O REI LEONILDO COM TODA A PACIÊNCIA DO MUNDO, DISSE:
- E O QUE A SENHORA QUER QUE EU FAÇA?
 E ANDRUXA DISSE:
- VOCÊ É O NOSSO REI E CONHECE MUITO BEM AS LEIS DA FLORESTA, ENTÃO DEVE FAZER O QUE A LEI DETERMINA A QUEM PERTURBA A ORDEM NO HORÁRIO NOTURNO.
ENTÃO, O REI LEONILDO DISSE A ARANHA:
- ASSIM QUE O SOL NASCER, EU MANDAREI PRENDER O GRILO.
E A MALVADA ARANHA NÃO SATISFEITA COM A RESPOSTA DO REI, OUSOU QUESTIONAR A DECISÃO SOBERANA E DISSE:
- SÓ ISSO!  EU SEI QUE IR PARA A PRISÃO É MUITO POUCO PARA AQUELE GRILO PERTURBADOR DA ORDEM, PORTANTO EU EXIJO QUE A LEI SE CUMPRA POR COMPLETO.
O REI QUE A ESSA ALTURA HAVIA PERDIDO A PACIÊNCIA COM A ARANHA CHATA, DEU UM REGIDO MUITO ALTO MANDANDO ANDRUXA PARA FORA DO PALÁCIO.
ENTÃO, LOGO QUE O SOL NASCEU, O REI LEONILDO ORDENOU A GUARDA REAL QUE FOSSE PRENDER O GRILO.
 O GRILO FOI PRESO, JULGADO E CONDENADO A PERDER A SUA CABEÇA E ASSIM FOI FEITO.
ENTÃO, ANDRUXA, A ARANHA BRUXA PEGOU A CABEÇA DO ANTENOR, O GRILO E SUMIU COM ELA.
MAS, ELA ERA TÃO MÁ QUE COM OS SEUS ENCANTOS DE BRUXA, ELA FEZ COM QUE A CABEÇA DO GRILO FOSSE PARAR DENTRO DA CABECINHA DE UMA MENININHA ESPERTA QUE PASSOU TER MUITOS PROBLEMAS PARA SEREM RESOLVIDOS DENTRO DA SUA CABEÇA.
ELA PASSOU A FICAR CONFUSA QUANDO TINHA QUE DECIDIR ALGO QUE QUERIA FAZER, A CABEÇA DO GRILO INTERFERIA NOS PENSAMENTOS DELA.
ENQUANTO ISSO ANTENOR PASSOU NOVE MESES VAGANDO PELA MATA PROCURANDO A SUA CABEÇA DESESPERADAMENTE.
CERTO DIA, ANTENOR MESMO SEM A SUA CABEÇA, CAMINHAVA PELA MATA TOCANDO O SEU VELHO VIOLINO.
OS BICHOS DA MATA NÃO ACREDITAVAM NO QUE ESTAVAM VENDO E FORAM CORRENDO CONTAR A NOVIDADE PARA A DONA ARANHA QUE TAMBÉM FICOU ASSOMBRADA COM O GRILO VAGANDO SEM A CABEÇA E TOCANDO O VIOLINO, POIS, O QUE A ARANHA MÁ NÃO SABIA É QUE GRILOS PODEM FICAR SEM A CABEÇA DURANTE NOVE MESES.
ENTÃO, A ARANHA FOI NOVAMENTE FALAR COM O REI LEONILDO E ELE AO OUVÍ-LA CONTAR SOBRE A HISTÓRIA DO GRILO SEM VAGANDO SEM A CABEÇA PELA MATA CONCLUIU QUE A ARANHA HAVIA ENLOUQUECIDO.
ENTÃO, O REI ORDENOU QUE OS GUARDAS A TRANCASSE NA TORRE MAIS ALTA DO CASTELO.
ENQUANTO ISSO NA MATA, ANTENOR FICOU SABENDO QUE A ARANHA MÁ HAVIA ESCONDIDO A SUA CABEÇA E FOI IMEDIATAMENTE AO CASTELO DO REI CONVERSAR COM ELA.
ENTÃO, O REI LEONILDO JÁ CANSADO DESSA HISTÓRIA, QUANDO VIU O GRILO NA SUA FRENTE SEM A CABEÇA, CONCLUIU QUE A ARANHA HAVIA FALADO A VERDADE E ORDENOU AOS SEUS GUARDAS QUE A TROUXESSE ATÉ ELE PARA QUE ESCLARECESSE DE UMA VEZ POR TODAS ESSA HISTÓRIA.
ENTÃO, A ARANHA TOMADA PELO ARREPENDIMENTO CONTOU QUE ELA HAVIA ROUBADO A CABEÇA DE ANTENOR FAZENDO UM ENCANTAMENTO COM SEUS PODERES DE BRUXA A IMPLANTOU NA CABEÇA DE UMA MENININHA.
ENQUANTO ISSO, RITINHA CONTINUAVA COM MUITOS GRILOS NA SUA CABECINHA, POIS, OS SEUS PENSAMENTOS SE CONFUNDIAM COM OS DO ANTENOR TANTO QUE A MÃE DELA PENSOU QUE SUA FILHA ESTAVA FICANDO LELÉ DA CUCA.
DEPOIS QUE A ARANHA CONFESSOU TER ESCONDIDO A CABEÇA DO GRILO DENTRO DA CUCA DA MENININHA, ELE FOI PROCURÁ-LA E QUANDO A ENCONTROU RETIROU DO BOLSO DA SUA CALÇA UMA CAIXINHA DE FÓSFORO E ABRIU E ASSIM NESSE MOMENTO A ARANHA SAIU E IMEDIATAMENTE COMEÇOU A SIBILAR SOM IRRITANTE E PROLONGADO, ASSOPRANDO O VENTO E ASSIM QUANDO ELA TERMINOU DE ASSOPRAR O VENTO, A CABEÇA DO GRILO SE JUNTOU NOVAMENTE AO CORPINHO DO GRILO.
ASSIM TUDO VOLTOU AO NORMAL NA MATA, O GRILO CONTINUOU CAMINHANDO TOCANDO O SEU VELHO VIOLINO DESAFINADO E A RITINHA VOLTOU A PENSAR COM A SUA PRÓPRIA CABECINHA E A ARANHA NUNCA MAIS SE IMPORTOU COM O SOM PRODUZIDO PELO VELHO VIOLINO DESAFINADO QUE O GRILO TOCAVA POR ONDE ELE PASSAVA, POIS, ELA HAVIA COMPRADO UM FONE DE OUVIDO E ASSIM CONSEGUIA TER UMA BOA NOITE DE SONO SEM QUE O SOM DO VELHO VIOLINO A PERTURBASSE.


Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 46 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 33763


Outros títulos do mesmo autor

Contos O MICO DO REI Saulo Piva Romero
Contos A SALSICHA FUGITIVA Saulo Piva Romero
Contos TOCO E TOTÓ Saulo Piva Romero
Contos A CABANA NO DESERTO Saulo Piva Romero
Contos FLORA, O FOGO E A CHUVA Saulo Piva Romero
Contos OS PINCÉIS DA HELENICE Saulo Piva Romero
Contos PROCURA-SE UMA BERINJELA Saulo Piva Romero
Contos AS PALAVRAS NA PAREDE Saulo Piva Romero
Contos A TARTARUGA E SUA LINDA FILHA Saulo Piva Romero
Contos O GATO DA FLORESTA DE SHERWOOD Saulo Piva Romero

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 250.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Os Morcegos - Nato Matos 34153 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 34141 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 34140 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 34137 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 34130 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 34129 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 34118 Visitas
Pou, a Majestade Não-Zoombi - Alice Silva 34102 Visitas
Conexão - Luca Schneersohn 34090 Visitas
Tempo - Luiz Fernando Sacramento Lusoli 34045 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última