Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O homem que cortou as minhas árvores
maria da graça almeida

O homem que cortou as minhas árvores
maria da graça almeida

O homem que cortou as minhas árvores
não se ocupou do esforço da semente,
da extensão da raiz, da magnitude dos galhos,
da expressão das folhas, do propósito do fruto.

O homem que cortou as minhas árvores
não cuidou da semeadura.
Para o aprendizado ou o treino do plantio
é necessário curvar e quedar-se rente ao chão.
Nem todos estão dispostos a tal submissão.

A construção requer cuidado e responsabilidade.
A destruição é simples, basta uma palavra...
ou uma assinatura, um olhar, um gesto, um empurrão.

O homem que cortou as minhas árvores não sabe
dos sacrifícios do crescimento, das penas do amadurecimento,
das perdas do envelhecimento, das dores do sepultamento.

O homem que cortou as minhas árvores
desconhece do tempo, os prejuízos, os benefícios
e, ingênuo ou desavisado,
na chegada ou na partida,
julga que jamais provará das urgências da vida.

-------------------------------------------------
Não só digo do homem que praticou a ação,
refiro-me também àquele que se dispôs
a colocar-lhe às mãos o instrumento da devastação.

////////////////////////////////////////////////////////////
Ao homem que cortou as minhas árvores
Maria da Graça Almeida

Infeliz abatedor
de árvores saudáveis,
a despeito de sua insensatez,
meu pomar reviveu!
As árvores brotaram novamente,
mais fortes e frondosas,
com flores mais perfumadas,
com frutos mais refrescantes.

Inconseqüente homem-serra,
em pouco tempo dar-se-á conta
de que pelo gesto insano e egoísta
você mesmo foi o grande lesado.

Hoje os braços lhe doem
pelos esforços do desserviço;
suas mãos sangram, contundidas
pela própria arma da devastação.
Impediu-se às delicias do fruto maduro
negou-se aos prazeres da sombra fresca.

Pobre homem-machado,
minha vegetação renasceu sadia
e sua amargura, esta, bem sei,
aumenta. E adoece-o, dia por dia...

E os dias são infindáveis...
e se nem isso o intimida,
o mal que lhe desejo
é que seja o detentor
da mais alongada vida,
para ardentemente sonhar
com o fruto cuja doçura
e com a sombra cujo frescor
nunca mais desfrutará!

Pobre homem-tesoura,
ontem senti pena de mim;
hoje, sinto de você,
que cortou as próprias penas,
que mutilou as próprias asas...



Biografia:
Maria da Graça Almeida Nascida em Pindorama- São Paulo. Escritora, poetisa, professora, pedagoga e formada em Educação Artística. Possui crônicas, cartas ou poemas, nos sites: • Editora Komedi • Recanto da poesia • Jornal de Poesia • Nave da Palavra • Boneca de Trapo • De amores e saudades • Officina do Pensamento • Poemar • Newsletter-Parque • Ciranda dos versos . Usina deletras...etc Autora de mais de vinte livros para crianças- ainda não publicados-. NOTA: Todos os textos da escritora, neste e em outros sites, publicados, possuem os documentos de registro dos órgãos de direito. Obras Físicas Publicadas - Espelho -Poesias Sem Mistério - A Graça que o bicho Tem- - Que traça sem graça - Mitos do folclore - A Menina da janela - O Cuco Maluco - O besouro doente Classificada em vários concursos literários, tem seus poemas nas coletâneas: • Ordem da Confraria dos Poetas • Ordem Sereníssima da Lira de Bronze • Antologia Poética 2000 • Concurso Talento Literário 2001 • Antologia diVersos • Poemas para crianças Convidada a participar de um manifesto, com o objetivo de registrar a solidariedade brasileira ao Timor Leste, teve publicado, no livro Timor Esperança, o poema: Juramento à Liberdade do Querer.
Número de vezes que este texto foi lido: 53022


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Precipitação maria da graça almeida
Poesias Jeito de sentir maria da graça almeida
Poesias Limites maria da graça almeida
Poesias Dentro de mim maria da graça almeida
Poesias Preciso dizer maria da graça almeida
Juvenil O sapo no buraco maria da graça almeida
Poesias O homem que cortou as minhas árvores maria da graça almeida
Poesias Convívio Virtual maria da graça almeida
Poesias Essência maria da graça almeida
Poesias Cabides humanos maria da graça almeida

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 14.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
JASMIM - evandro baptista de araujo 68971 Visitas
ANOITECIMENTOS - Edmir Carvalho 57894 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 56714 Visitas
Camden: O Avivamento Que Mudou O Movimento Evangélico - Eliel dos santos silva 55790 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 55039 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 54936 Visitas
Sobrenatural: A Vida de William Branham - Owen Jorgensen 54838 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 54810 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 54723 Visitas
O TEMPO QUE MOVE A ALMA - Leonardo de Souza Dutra 54711 Visitas

Páginas: Próxima Última