Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A morte da velha rica
Gladyston costa

Dormiu viva e logo cedo acordou morta
No aposento de mobília em entalhe
madeira nobre de angelim, mogno, ipê
todo esse ouro não lhe tardou a despedida

O criado mudo na mesma anatomia
com linhas tortas a acusar as heresias
O espelho oval a refletir a solidão
de um rosto pálido enfiado no caixão

O corpo inerte, todo frio e desalmado
Jaz e já foi rico abastado
Largou a vida, pois morreu morte morrida
viva, vivia avarenta mesquinharia

Tanto pecado contado em moeda
pago em novena e em muito terço rezado
Sua alma parte e não leva um vintém
Sem porta-malas o caixão segue além

Alma de rico encomendada na medida
na lage fria de esmeralda bem polida
só vai ao céu pelo buraco da agulha
ter com mendigos, toda sorte de sem teto

roupa elegante de seda e caxemira
contas de ouro, pedra cara, prataria
tanto requinte já não lhe mais tem serventia
pra onde vais o eu saldo não tem valia

Velha abonada é chegada a sua hora!
findo o jogo, sopra o juiz o final
Esquece tudo, sai de campo e sem demora
Já é fim de dia, hora da ave maria.


Gladyston Costa


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 33825


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Porco tem alma? Gladyston costa
Poesias LUA E CIDADE Gladyston costa
Poesias MINHA QUERIDA DAMA DA NOITE Gladyston costa
Poesias Sobre a noite e a ciência Gladyston costa
Poesias Flor de Arueira Gladyston costa
Poesias Paredes Gladyston costa
Poesias Acidez e Mariposas Gladyston costa
Poesias "Reluzente " Gladyston costa

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 41 até 48 de um total de 48.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
COLETÂNEAS CULTURAIS 2 - paulo ricardo a fogaça 0 Visitas
frase 68 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
Me - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior