Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Mulher sem rosto
Antonio Magnani

Resumo:
Mais uma vez denuncio a violência doméstica



Naquela manhã triste de outono trouxeste, com uma braçada de flores, as lágrimas do seu sofrimento e de sua solidão.
Há anos que encontra-se atrelada ao seu algoz, que lhe faz a vida negra. Tudo é cíclico, e não consegue escapar dessa rede que te prende e que te vai destruindo lentamente.
Por que te entrega, assim aos maus presságios do sono, onde a insônia toma conta da tua solidão?
Vi a noite em seu leito, desvendando as cores negras da velhice e da morte, entre sonhos da vida e do tempo o qual te faz lembrar só momentos de tormentos e sofrimentos.
Mulher sem rosto, já não te ensinou o conhecimento da vida, deixar toda amargura na curva do caminho por um só momento e permitir ao pássaro da felicidade cantar a sua melodia enquanto sucumbem em aflição e morte os que têm o seu tempo chegado? Marcados para sofrer, marcados para morrer.
Os atalhos singelos da vida enchem o teu coração das pequenas alegrias momentâneas de cada dia e formam o tesouro de amor e esperança que atravessará os umbrais da eternidade. Enquanto isso o sofrimento e as lágrimas futuras, permanecerão trancadas no calabouço das desilusões irremediáveis, nas masmorras da alma em decomposição.
É por isso que neste exato momento, embora essas névoas de amargura envolvem o teu semblante ainda jovem, nada deve temer, nada deve deter-te. A tua alforria está próxima. Filha a ressurreição de todos os sonhos, transformará toda amargura em amor.
E o seu frágil rosto terá um novo brilho e haverá glória nos teus olhos tristonhos. E algo novo irá acontecer, e certamente há-de estender à tua frente ramos de flores, rosas de todas as cores e frutos exóticos por onde os teus pés, desnudos e sofridos caminharão em direção das estrelas, onde será acolhida, abraçada e redimida, por sofrer todos os tormentos na terra dos homens, nas mãos dos homens.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 168


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Agnus Dei Antonio Magnani
Poesias Razão de viver Antonio Magnani
Poesias Violência Doméstica Antonio Magnani
Poesias Ninho de passarinho Antonio Magnani
Poesias Retrato de uma vida amarga Antonio Magnani
Contos Mulher sem rosto Antonio Magnani
Contos Maria Dolores Mutema Antonio Magnani
Contos Cordélia Brasil Antonio Magnani
Contos Morador de rua morre de frio em Marília Antonio Magnani
Artigos Sabedoria Antonio Magnani

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
Amei! Que droga! - Fabiano Vaz de Mello 208045 Visitas
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182350 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 144601 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 144075 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 127974 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67064 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 63242 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 57690 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57103 Visitas
Entenda de uma vez por todas o Hino Nacional - Fabbio Cortez 56966 Visitas

Páginas: Próxima Última