Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
NOSSOS SONHOS 6 IND 17 ANOS
DE PAULO FOG
ricardo fogaça

Resumo:
BOM

5




           Breno acorda numa cama de hospital.
    - O que foi?
    - Senhor não se mexa,o doutor já vai vir ve-lo.
    Logo entra um médico que examina Breno e o encaminha para o raio x.
    Minutos depois ele retorna, é medicado e liberado.
    Com muita dificuldade ele anda pelo corredor para a portaria até que desmaia, uma mulher o ampara.
    - Ficou louco cara, quer fugir mesmo.
    - Eles me liberaram.
    - Uma porra, eles tem de te examinar melhor.
    A mulher o apoia nela e segue para a sala da plantonista, Breno desmaia ali e é levado para o pronto socorro, feito uma tomografia, ele é internado.
    - O que houve doutor?
    - Ele teve uma hemorragia.
    - Ai meu Deus.
    - Fique tranquila, vamos cuidar, tem um coagulo na cabeça.
    - E agora?
    - Tudo indica que pode sumir.
    - Tomara.
    - Agora me desculpe, tenho que ver outros pacientes.
    - Obrigado doutor.
    Assim que o médico sai, ela a olhar para Breno ouve ele balbuciar o nome de Miguel.
    - Miguel, mais quem é esse cara?
    Ela procura nos bolsos e encontra uma foto dele com outro homem, suspeita ser esse o Miguel, atrás da foto um numero de telefone fixo.
    - Vou ligar.
    Pouco tempo e ela tenta ligar de seu celular.
    - Oi.
    - Oi.
    - É o Miguel?
    - Sim por quê?
    - O seu amigo ou conhecido, Breno esta aqui no hospital.
    - Em qual?
    Ela passa os detalhes e cerca de 20 minutos, Miguel entra no quarto.
    - Olá.
    - Olá.
    - Como ele esta?
    - Deste jeito, quebrado.
    - O que aconteceu?
    - Ele apanhou muito de uns cara ai, ladrõezinhos da madruga, entende?
    - E você?
    - O que tem eu?
    - Você o conhece de onde......
    - Moro no mesmo lugar que ele.
    - Juntos?
    - O que foi tio, quer que eu vá, sei lá cara, cheio de perguntinhas, vai ajudar ou não?
    - Me desculpe, sou Miguel, olhe, estive passando por poucas e boas, boa parte por causa de seu novo amigo.
    - Sei, amizade colorida.
    - Fomos noivos.
    - Nossa noivos.
    - No passado, graças a Deus.
    A mulher senta na cadeira ali, Miguel senta a beira da cama, logo sai e começa a acariciar Breno que dorme devido aos medicamentos.
    - Eu o amava.
    - Não ama mais?
    - Acho que não.
    - Quando se acha, ainda há esperança.
    - Prefiro que não haja.
    - Bem, vou embora, ele ja esta contigo.
    - Não sei seu nome?
    - Isabel, mais pode me chamar de Monique.
    - Monique?
    - Meu nome nas ruas e boates.
    - Uma garota de programa, bem usual para ele.
    - Algo ruim nisso?
    - Não, ele também foi ou é.
    - Michê, ele sempre será.
    - Pelo jeito o conhece muito bem.
    - Olhe não gosto de atrapalhar a vida de ninguém, quer que eu saia, eu saio, tudo bem.
    - Não fique, como te disse, não temos mais nada.
    - Acho que ainda o ama.
    - Mais ele prefere a vida desgraçada que leva.
    - Sabe, essa praga vicia a gente, sempre tem dinheiro, não tão dificil, dificil mais nem tanto.
    - Até perderem a vida.
    - Já a perdemos desde que nascemos.

                                      20052020............





                      Breno recebe alta, Miguel o levapara seu apartamento, Isabel vai junto convidada por Miguel.
    - Ainda não entendi, por que devo ficar aqui?
    - Olhe, não sei o quanto ganha nas ruas em seu trabalho, mais tenho uma ofertapara ti, por duas semanas, se quiser, fique e cuide dele.
    - E você?
    - Vou para o litoral, esfriar a mente e trabalhar num projeto que tenho pensado.
    - Acho que quer mesmo é fugir da tentação.
    - Bem vai aceitar ou não, qualquer coisa eu ligo para uma agência e.........
    - Vai, faça sua oferta, tenho que saber quanto vou ganhar nessa.
    Miguel escreve um valor para ela.
    - Por duas semanas.
    - Olha você deve ama-lo muito por que por uma quantia dessa, faço outras coisas juntos com você e ele.
    - Com certeza que não quero e cuide dele.
    Miguel dá um adiantamento para Isabel, quase uma hora depois ele sai do apartamento, ele indica para ela tudo ali e deixa seu numero caso surja uma extrema urgência.
    - Tudo bem, fique em paz vai tranquilo, cuido dele muito bem e confie, não mexo em nada seu, qualquer problema tenho um cliente que dirige uma ambulância ele esta comigo esta em casa.
    - Com certeza que tem e quuanto a mexer em minhas coisas, tem câmeras por todo lugar.
    - Lindoooooooo.
    Miguel sai deixando Breno ali dormindo na cama no quarto de hóspedes.
    Isabel anda pelo apartamento e come algumas frutas e se acaba com chocolates em barra e brigadeiros.
    Liga a tv e procura por canais de filmes, acha um bom e fica ali, coloca seu celular para carregar e estoura pipoca.
    Pronto, já esta se sentindo ali a dona do pedaço, procura por algo nos armários e encontra um vinho e o abre.
    - Nunca se sabe quando será a próxima vez.
    Ali no sofá jogada a assistir filmes acaba por pegar no sono.
    Tarde da noite o celular de Breno toca, ela corda rápido atende o aparelho.
    - Oi.
    - Quem é você?
    - Sou Monique, a cuidadora.
    - Cuidadora?
    - Pois é mulher, estou cuidando do homem aqui.
    - Sabe-se-lá bem o tipo...
    - O que foi piranha, quer briga é?
    - Garota, não me interessa o que você esta fazendo ai, chama o michê.
    - Quem o Breno, não dá não.
    - O que houve?
    - Olha mulher, ele esta dormindo, doentinho pra caramba.
    - O quê?
    - Foda-se puta.
    Isabel desliga o aparelho e vai até o quarto onde Breno ainda dorme, retorna para a sala com um cobertor que joga por cima dela e continua a assistir, aproveita e confere suas redes sociais pelo wiffi do lugar.
    - Ai rapaz, estou até pensando em te fazer ficar um pouco mais a dormir por ai.
    Entre risos ela continua ali na sala.
    Natália tenta mais algumas vezes ligar para Breno, só que dá fora de área.
    Sandoval termina de colocar as rações de gado nos cochos quando Mauricio aparece aos nervos.
    - O que foi patrão?
    - O cara da agro disse que não vai poder entregar os milhos e as sacas de sal para os bois.
    - Vixe.
    - Estão sem motorista.
    - Oras, eu vou buscar, se o problema é esse já não é mais patrão.
    - Você vai?
    - Vou, pode confiar.
    Sandoval se troca e logo sai para a camionete, Sueli aproveita a ida do esposo e lhe dá uma lista de coisas para trazer para a casa deles.
    - Essas mulheres, só pensam em compras.
    Mauricio dá um riso sob aquilo e sobe no cavalo para correr o pasto, Sandoval segue para a cidade.
    No meio do caminho avista uma rural bem velha vindo.
    - Meu pai é a professora, tende ser ela.
    Ele pára junto do veiculo.
    - Professora, o que aconteceu?
    - Bom dia Sandoval, que bom ter te encontrado por aqui, preciso muito que o senhor e sua esposa assinem uns documentos que irão para a capital ainda hoje.
    - Por quê professora?
    - São a ficha contendo os dados de seu filho, o governo esta pedidndo na educação e tem que ser mandado hoje, me desculpe.
    - Nada professora, vem comigo, assim a senhora explica melhor para a minha mulher, ela nunca entende nada mesmo do que falo a ela. Risos.
    - E a rural?
    - Deixe ai, logo trago a senhora de volta.
    - Tá certo, vamos.
    Eles entram na camionete e Sandoval faz o retorno, ao chegar perto da sede já estranha o cavalo de Mauricio perto da porta da cozinha.
    Sandoval deixa a professora na área da frente e segue para a cozinha, da porta ele vê sua mulher se entregando ao patrão.
    Ele recua e deixa cair um vasinho de planta ao chão perto da porta.
    - O que foi isso?
    Mauricio sai da cozinha e vê Sandoval ali.
    - Sandoval, aconteceu algo?
    Sueli arruma a roupa escondida atrás do refrigerador.
    - O que foi homem?
    - A professora da escola esta esperando a gente ali na área, com licença.
    - O que houve para ela vir aqui?
    - Vai lá, ela explica.
    Sandoval não consegue olhar para eles e sai, Sueli olha apara Mauricio e segue para área, a professora explica aos dois ali, o casal assina os documentos, o menino vem até eles.
    - Professora, a senhora aqui, as aulas voltaram?
    - Ainda não, ainda não.
    A mulher olha para o casal que não consegue esconder um certo constrangimento no ar, após explicar ela se despede.
    - Bem, seu Sandoval agora podemos ir.
    - Sim professora, te deixo em seu carro onde nos vimos.
    - Obrigado.
    Mauricio surge ali se apresentando a professora que sente, sim algo ruim aconteceu ali, logo ela dentro da camionete com Sandoval, no caminho ele nada diz até que ela.
    - Olhe Sandoval, eu te conheço há quase 3 anos, me perdoe invadir sua privacidade, mais o senhor esta um tanto estranho, aconteceu alguma coisa, quer falar, sei lá?
    O homem freia o carro bruscamente e olha para a mulher ali, logo desaba em choro sendo amparado por ela.
    - Por que, por que me diz, só me diz isso, o que fez ela agir desse jeito.
    A mulher entende tudo que já, suspeitava, em seus 15 anos de professora foram vários desses que teve cnhecimento por outros profissionais e até ela própria testemunhara, de certa, ela até achou que demorara um tanto para que acontecesse aquilo, por conhecer Sueli desde os tempos em que eram amigas de escola.

                         22052020...........



Biografia:
amo ler e muito mais escrever, sou assim
Número de vezes que este texto foi lido: 245


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas O PRESIDENTE COM COVID ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 6 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 5 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 4 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 3 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Crônicas EU SENDO NEGRO 2 ricardo fogaça
Crônicas O MINISTRO, GAFANHOTOS, O PRESIDENTE FRENTE A FEDERAL ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 2 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Contos CÁSSIO 1 NOVEL IND 17 ANOS ricardo fogaça
Contos NOSSOS SONHOS 11 FINAL IND 17 ANOS ricardo fogaça

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 69.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 66247 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55164 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43709 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43335 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 42951 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40876 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 39814 Visitas
Amores! - 38252 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 37593 Visitas
Desabafo - 37498 Visitas

Páginas: Próxima Última