Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
GENITORA
CHEILA DA SILVA LAZZARETTI

Sorrateiramente abri a porta, eterna caminhada até sua cama; passando o filme da minha vida naqueles instantes. Meu coração batia na boca, garganta seca. Uma brisa entrava pela janela. A acompanhante lia um livro, seus óculos quase caindo do nariz, balbuciou um bom dia quando me viu sem nenhuma expressão de espanto, não deveria me conhecer certamente.
Meu rosto em chamas, não consigo não perceber sua mão esguia e magra, esmalte descascado, rebú. O cenário era mais apavorante na minha imaginação; não havia aqueles aparelhos de batimentos cardíacos nem sondas em seu nariz. Apenas uma mulher morena clara, agora bem pálida deitada num colchão plastificado e numa cama aparecendo as ferragens.
Finalmente era ela.
Eu já havia a imaginado de todas as formas. Quando era criança a desenhava na última folha do caderno. Escondia de minha tata, ou se via não dedurou. O engraçado que nunca a desenhei realmente como é, apesar que creio que essa deitada ali não era a verdadeira Claudete. Ali só um ser magérrimo coberto de uma pele extremamente cansada e suplicando a morte.
Ela tosse; eu assusto. Um mix de sentimentos dentro de mim. Ensaiei esse momento 29 anos. Quase 3 décadas esperando por isso. Desejei sua morte, desejei que tivesse enriquecido, desejei sua felicidade, desejei que tivesse ficado cega mas o que mais desejei a sua infertilidade. Mas não, inclusive seis gestações. Corriqueiro em sua realidade e situação.
Retorno de meus pensamentos e fixo meu olhar nela. Tudo o que eu poderia falar seria inútil neste momento. Minha mãe me aconselhou tanto o que dizer, orou antes deu entrar na sala. Sua tosse se intensifica. Finalmente a acompanhante se mexe, muito sem vontade. Levanta, pega um recipiente e fica parada ao seu lado. Não devo ter escolhido boa hora, mas em um hospital quais seriam as melhores horas.
Num ímpeto abre os olhos, seu olhar foi diretamente em mim como flechas. Que desespero. Começa a tossir descontrolavelmente, vomita dentro daquele recipiente. Sua acompanhante a limpa. Não trocamos palavra alguma. Apertei tanto os ferros da cama que minha mão ficou com ferrugem.
Posso escutar ao fundo um som vindo de um rádio ou TV, a cena correndo e eu sem saber o que fazer. A acompanhante aperta a campainha. Na cama ao lado, uma senhora levanta a cabeça para ver o que acontecia mas logo deita e dorme. Poucos minutos aparecem os enfermeiros. Eu conforme entrei estou.
Ela vomita novamente, desta vez secreções, sangue coagulado. Um dos enfermeiros comenta, são pedaços do pulmão. Eu tonteei, eles mais natural possível seguram sua cabeça como que se estivessem ouvindo ópera. A acompanhante fica ali próximo com uma toalhinha na mão. Dispara: -De hoje não passa!
O que eu fui fazer ali, onde eu estava com a cabeça; quis chorar, quis meus pais.
Dou passos lentos para trás , gélida quase inconsciente abro a porta, sensação de dever incompleto. Vejo meu pai, lágrimas rolam, todas possíveis. Meu passado obscuro ficou lá naquela cama com ela.
-Escolha a coroa mais linda. Disse eu a florista. Com pesar, descanse em paz! De sua filha Yana




Biografia:

Este texto é administrado por: Cheila da Silva Lazzaretti
Número de vezes que este texto foi lido: 276


Outros títulos do mesmo autor

Poesias UMA EXPLOSÃO DE SENTIMENTOS Cheila da Silva Lazzaretti
Contos GENITORA CHEILA DA SILVA LAZZARETTI
Poesias SEU JOÃO TABA CHEILA DA SILVA LAZZARETTI
Contos A PENDÊMICA CHEILA DA SILVA LAZZARETTI


Publicações de número 1 até 4 de um total de 4.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 66247 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55164 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43709 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43335 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 42951 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40876 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 39818 Visitas
Amores! - 38252 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 37593 Visitas
Desabafo - 37498 Visitas

Páginas: Próxima Última