Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Violência Doméstica
Maria José já não sofre nas mãos de José Maria
Antonio Magnani

Resumo:
Escrito em português falado em Portugal

Violência Doméstica

Maria José levantou-se muito cedo, vestiu-se rapidamente e já tinha em mente as bijuterias que iria usar naquela manhã. Foi a casa de banho, fez sua higiene pessoal, penteou os cabelos, pegou sua velha mala desbotada pelo tempo e dirigiu-se a paragem mais próxima. No baloiço do auto-carro, fez e refez sua maquilhagem,
para esconder as marcas do sofrimento. Quando deu por si já estava no centro da cidade.
Rumou ao primeiro café, e estava em dúvida quanto a ementa.Pensou, pensou e depois pediu ao mal-humorado empregado de mesa, uma bica cheia e uma bola de Berlim. Comia e lia ao mesmo tempo uma revistinha cor-de-rosa que trazia na capa a imagem de uma estrelinha de segunda grandeza. Passado um quarto de hora, pediu uma chávena grande de carioca de limão. Pagou a conta e saiu apressadamente e quase trombou numa velhota que estava parada na calçada.
Maria João estava completamente perdida, foi até a estação, tomou o primeiro comboio e desceu numa zona duvidosa e foi bisbilhotar as montras. Praticamente tudo era “made in China”. Passou por ela, um cabo-verdiano e lhe disse alguma coisa em crioulo, ela fez que não ouviu e seguiu o seu caminho.
Sentou no banco da Praça da Figueira, e a solidão bateu no seu coração. Tirou do saco um maço de tabaco e ao mesmo tempo que fumava, chorava, chorava e chorava.   Havia sofrimento em sua alma. Estava cansada de sofrer violência doméstica, estava saturada de tudo e consigo falava: “a cada três mulheres uma sofre de violência doméstica” e ninguém faz nada.
O tempo passou rapidamente, e entrou numa tasca familiar, pediu bitoque e uma jarra de vinho. Comeu sossegadamente, pois sabia que era a sua última refeição pois em sua mente de mulher sofrida já tinha um plano. Pediu a velha senhora alentejana um abatanado e um pastel de nata, depois dirigiu se a retrete e arrumou o cabelo, olhou-se no espelho e viu em seu rosto marcas de dor e sofrimento, e começou a chorar.
Enxugou as lágrimas dos olhos, retocou a maquilhagem e saiu apressadamente. Sentou-se no primeiro banco que encontrou e lá estava um exemplar de Maria.Abriu numa página qualquer, e lá encontrou um fútil artigo que explicava a diferença entre ser pirosa e ser pindérica. Riu-se pela primeira vez naquele dia, há tempo que não ria assim. Por um momento sentiu-se mulher, sentiu-se feliz, sentiu-se livre. Aquela liberdade levou a sonhar por um instante, pensou em fugir para um lugar distante. Não teve coragem, estava sozinha, tinha medo de voltar pra casa, pois o seu algoz estava a sua espera.
E para cessar o seu sofrimento, atirou-se de corpo, alma e espírito nas águas tranquilas do Tejo. No outro dia, aparece sua história no jornal,
“Maria José já não sofre nas mãos de José Maria”,


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 25


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Agnus Dei Antonio Magnani
Poesias Razão de viver Antonio Magnani
Poesias Violência Doméstica Antonio Magnani
Poesias Ninho de passarinho Antonio Magnani
Poesias Retrato de uma vida amarga Antonio Magnani
Contos Mulher sem rosto Antonio Magnani
Contos Maria Dolores Mutema Antonio Magnani
Contos Cordélia Brasil Antonio Magnani
Contos Morador de rua morre de frio em Marília Antonio Magnani
Artigos Sabedoria Antonio Magnani

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 181660 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 133026 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 132587 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 127392 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 66478 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 55745 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 55637 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 55267 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 52792 Visitas
Piscianas, as mulheres mais próximas dos sentimentos. - Nandoww 49971 Visitas

Páginas: Próxima Última