Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O verme da razão
Gladyston costa

O verme como sombras rasteja pela cidade. Cruza o asfalto quente ao sol do meio dia, o corpo queima sem alma. Caminha entre as linhas paralelas que revelam a ciência da vida em seu mundo. As calçadas que emolduram a avenida são jardins onde brotam paredes, onde o asfalto preto de petróleo esquenta sob o sol. O calor da luz sequestrada queima o verme rastejante. O bicho não desiste, sofre, arde, e sórdido continua. Por entre as linhas verticais e insólitas dos edifícios, a lógica de sua existência, caminha contra a luz. Caminha reto com pensamento linear e fragmentado, como uma sombra sem corpo no mundo. Mas teme e reza, pede salvação para além do alto das paredes, porém seu deus já não o alcança. Absorvido pela grandeza da razão, agora a fé é uma moeda, o verme está cego. O deus das linhas retas medidas e calculadas são fragmentos descartados do mundo. O deus do sol e das coisas do mundo não permeia as linhas retas da razão. Pobre verme sem alma! A fé que emana do seu medo é cega e perdida. As réguas, compassos e a métrica que criam paredes roubam a luz, o céu, cobrem a terra com asfalto. Pelo caminho o rastejante verme disseca o mundo, guarda os pedaços da vida em caixas enquanto fragmentos do universo despencam pelo chão. Sua sombra queima no asfalto, está só e perdido no espaço, pois a razão que o impulsiona o isola. Fruto da lógica, para o verme da ciência, o criador do sol não é cognoscível. Com sua sombra pelo asfalto, perdido no caminho, mais uma vez, busca na razão a salvação. Como uma flecha certeira o sol o alcança e rasga ao meio seu paradoxo, sua existência. O verme segue... queima sem alma.

Gladyston Costa


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 33761


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Pão de Ló Gladyston costa
Contos Esporádica companhia Gladyston costa
Poesias Indolente sedutor Gladyston costa
Crônicas Asas sobre sampa Gladyston costa
Poesias Abraço Gladyston costa
Poesias Água doce Gladyston costa
Crônicas Na borda da banheira Gladyston costa
Poesias Ladeira da misericórdia Gladyston costa
Crônicas Principia a primavera Gladyston costa
Crônicas Divagações sobre um poema Gladyston costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 48.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 34842 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 34786 Visitas
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 34710 Visitas
Como posso desenvolver uma campanha de marketing - Antonio 34700 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 34694 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 34692 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 34691 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 34655 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 34653 Visitas
A Carta Gelada - José Rony de Andrade Alves 34640 Visitas

Páginas: Próxima Última