Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Na janela, a floreira.
Gladyston costa

A floreira na janela logo cedo é visitada, primeiro vem o sol com sua luz perpendicular espremida entre as paredes. Alcança de início o telhado e depois desce lentamente até o chão do quintal e em pouco tempo esvai. No meio do caminho a jardineira, lá alguns cravos brilham alegremente com a luz morna, ficam até mais perfumados. Cheiro de limão. Há quem as chamam de cravo-de-defunto. Pura maldade, pois são flores cheias de vida, suaves e de personalidade marcante, tal alcunha não lhes diz respeito. Melhor chama-los de flor-de-jupter, da Índia, da África, ou de Tagetes mesmo. O amarelo é lindíssimo, mas aquelas com pétalas cor de laranja ou vermelha também o são!

Com o sol, não demora muito vêm também abelhinhas miúdas e graciosas, voam pulando de cravo em cravo. São indígenas sem ferrão, mandaçaias de barriga preto e amarelo e jataí cor de caramelo.

Voa mandaçaia
Voa jataí
De cravo em cravo
Lambe o néctar
Colhe o pólen
E voa!
Semeia, semeia.

Como trabalham, vão e voltam por toda a manhã. Na hora do almoço ainda estão lá e pouco antes do anoitecer vão embora. Talvez não vá longe, o ninho deve estar em algum buraco no muro do quintal ou, quem sabe, no oco da tipuana no passeio.

Cheios de vida e beleza, os cravos e as abelhas seguem alheios à confusão do mundo lá fora, o ruído dos carros na avenida não lhes tira a sina, firmes seguem existindo em meio às torres de concreto que cercam o quintal.

Gladyston Costa



Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 33798


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Pão de Ló Gladyston costa
Contos Esporádica companhia Gladyston costa
Poesias Indolente sedutor Gladyston costa
Crônicas Asas sobre sampa Gladyston costa
Poesias Abraço Gladyston costa
Poesias Água doce Gladyston costa
Crônicas Na borda da banheira Gladyston costa
Poesias Ladeira da misericórdia Gladyston costa
Crônicas Principia a primavera Gladyston costa
Crônicas Divagações sobre um poema Gladyston costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 48.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 55920 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 46567 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 44290 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 43086 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 42445 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 42330 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 42298 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 41959 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 41878 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 41851 Visitas

Páginas: Próxima Última