Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O espírito ainda anda
Caliel Alves dos Santos

Resumo:
O fantasma é um dos maiores heróis das histórias em quadrinhos, conheça um pouco mais da sua trajetória nessa resenha.

Um dos maiores super-heróis da cultura pop, sem sombra de dúvida, é O Fantasma. Foi criado pelo quadrinista e dramaturgo norte-americano Leon Harrison Gross, mais conhecido pelo pseudônimo de Lee Faulk, autor também de Mandrake, um famoso mago dos quadrinhos publicado em 1934. Nascido em 28 de abril de 1911, St. Louis, estado do Missouri. O Fantasma seria trazido a vida em fevereiro de 1936.
     O personagem Kit Walker encarnava o legado do Fantasma, o Homem que Não Podia Morrer. Um combatente do crime que passava seu manto para as futuras gerações. Iniciando o combate ao crime desde 1536, no fictício país africano de Bangalla, tendo como devotados aliados os pigmeus Bandar. Embora não tivesse poderes especiais, possuía perícias em armas e técnicas de lutas várias, astúcia ímpar e muita coragem.
     O título fez tanto sucesso que já no ano de 1943 ganhou uma minissérie de 15 episódios nos cinemas. No ano de 1996, O Fantasma ganha outra adaptação para o cinema, tendo Billy Zane no papel de Kit Walker, tendo ainda a participação de Catherine Zeta-Jones e Kirsty Swanson, que há meu ver, é uma das melhores adaptações para o cinema, embora na época teve uma recepção bem morna na crítica.
     O Fantasma apareceu até mesmo no clipe Yellow Submarine dos Beatles. Lee Falk morreu em março de 1999 com 88 anos de idade. A última história do Fantasma foi escrita ainda no hospital, quando o autor ditava o roteiro para sua esposa, Elizabeth Moxley. O icônico herói é reconhecido pela sua máscara negra, seu uniforme roxo e sua cuequinha auri-negra. O Fantasma usava pistolas, tinha o corcel Herói e o seu lobo Capeto.
     A Mythos Editora, uma casa editorial que publica obras incríveis dos quadrinhos como Tex, Zagor, e Conan de Robert E. Howard, volta a publicar O Fantasma. No formato americano, periodicidade mensal e com páginas coloridas. Sem contar com as diversas edições especiais como Crônicas do Fantasma (com 100 págs. em preto e branco, papel especial, com traços inéditos de Moore e McCoy).
     As edições que li são publicadas pela editora sueca Egmont, e foram as de volumes 1 e 2. O vol. 1 traz uma interessante história em dois capítulos. Sandal Singh, CEO das indústrias Singh e presidente de Rhódia. O Fantasma intervém, Sandal seduz o herói encapuzado quando ele está ferido e engravida. Sangue de herói e vilão se une. O atual líder dos piratas Singh, Dogai, tenta raptar a criança e acabar com o governo de Sandal.
     No volume 2, além de conter com história fechadas, possui melhores traços e roteiros. Na primeira história, um senhor idoso decide deixar sua herança para o Espírito-que-Anda, mas sua advogada vive grandes dificuldades. Na segunda, a mais interessante, pois o Fantasma aqui é um coadjuvante, dois irmãos brigam por uma herança: uma fazenda de bananas. Vemos um pouco da comunidade de Bangalla mais a fundo.
     O Fantasma é história pra qualquer época ou idade. São variados traços, períodos históricos abordados e narrativas excepcionais. É inadmissível que você passe a vida sem ler ao menos uma revista d’O Fantasma. A edição é a padrão: papel jornal, 50 págs. e capa mole. Com R$ 12,90 você leva para casa envolventes histórias contendo a vida e a obra de um herói dedicado a justiça.

Adquira seus volumes aqui:
https://www.lojamythos.com.br/121378-o-fantasma-vol-1


Biografia:
Caliel Alves nasceu em Araçás/BA. Desde jovem se aventurou no mundo dos quadrinhos e mangás. Adora animes e coleciona quadrinhos nacionais de autores independentes. Começou escrevendo poemas e crônicas no Ensino Médio. Já escreveu contos, noveletas, resenhas e artigos publicados em plataformas na internet e em algumas revistas literárias. Desde 2019 vem participando de várias antologias como Leyendas mexicanas (Dark Books) e Insólito (Cavalo Café). Publicou o livro de poemas Poesias crocantes em e-book na Amazon.
Número de vezes que este texto foi lido: 33775


Outros títulos do mesmo autor

Resenhas Azul sempre foi a cor mais quente Caliel Alves dos Santos
Releases Zumbi, mais que ação, um ideal Caliel Alves dos Santos
Releases Arqueologia Pop – VAN Caliel Alves dos Santos
Resenhas Arqueologia Pop – Kroma! Caliel Alves dos Santos
Releases Arqueologia Pop – Nova Ventura Caliel Alves dos Santos
Resenhas Arqueologia Pop – Blood Crystals Caliel Alves dos Santos
Resenhas Quando o caçador vira a sua própria presa Caliel Alves dos Santos
Resenhas Só nos sobraram os espinhos Caliel Alves dos Santos
Resenhas Caçando demónios por aí Caliel Alves dos Santos
Resenhas Caçadores de emoções... e aventuras Caliel Alves dos Santos

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 111.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 35487 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 35408 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 35347 Visitas
Como posso desenvolver uma campanha de marketing - Antonio 35329 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 35300 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 35299 Visitas
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 35291 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 35270 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 35252 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 35247 Visitas

Páginas: Próxima Última