Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O verme da razão
Gladyston costa

O verme como sombras rasteja pela cidade. Cruza o asfalto quente ao sol do meio dia, o corpo queima sem alma. Caminha entre as linhas paralelas que revelam a ciência da vida em seu mundo. As calçadas que emolduram a avenida são jardins onde brotam paredes, onde o asfalto preto de petróleo esquenta sob o sol. O calor da luz sequestrada queima o verme rastejante. O bicho não desiste, sofre, arde, e sórdido continua. Por entre as linhas verticais e insólitas dos edifícios, a lógica de sua existência, caminha contra a luz. Caminha reto com pensamento linear e fragmentado, como uma sombra sem corpo no mundo. Mas teme e reza, pede salvação para além do alto das paredes, porém seu deus já não o alcança. Absorvido pela grandeza da razão, agora a fé é uma moeda, o verme está cego. O deus das linhas retas medidas e calculadas são fragmentos descartados do mundo. O deus do sol e das coisas do mundo não permeia as linhas retas da razão. Pobre verme sem alma! A fé que emana do seu medo é cega e perdida. As réguas, compassos e a métrica que criam paredes roubam a luz, o céu, cobrem a terra com asfalto. Pelo caminho o rastejante verme disseca o mundo, guarda os pedaços da vida em caixas enquanto fragmentos do universo despencam pelo chão. Sua sombra queima no asfalto, está só e perdido no espaço, pois a razão que o impulsiona o isola. Fruto da lógica, para o verme da ciência, o criador do sol não é cognoscível. Com sua sombra pelo asfalto, perdido no caminho, mais uma vez, busca na razão a salvação. Como uma flecha certeira o sol o alcança e rasga ao meio seu paradoxo, sua existência. O verme segue... queima sem alma.

Gladyston Costa


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 33760


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Coisas e luz Gladyston costa
Crônicas Na janela, a floreira. Gladyston costa
Crônicas Como foi? Foi um sonho meio doido Gladyston costa
Poesias Quase Lua Gladyston costa
Poesias A curruira e o dente de leão Gladyston costa
Poesias O galo e a cidade Gladyston costa
Romance ''Desejo" Gladyston costa
Poesias Uma vida só Gladyston costa
Poesias Novamente o outono Gladyston costa
Poesias Olhos de Vapor Gladyston costa

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 21 até 30 de um total de 48.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 34236 Visitas
The crow - The Wiki World - The Crow 33917 Visitas
Amores! - 33915 Visitas
Faça alguém feliz - 33895 Visitas
camaro amarelo - 33881 Visitas
Desabafo - 33872 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 33861 Visitas
sei quem sou? - 33846 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 33846 Visitas
A menina e o desenho - 33845 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última