Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Gabriel Pereira do Amaral

Nossa
Estou triste
Mas, uma tristeza estranha
Não sei falar como
Não sei escrever como
Sei que sinto
Sinto uma tristeza
Um vazio
Uma dor
O peito dói
É oco
É escuro
Silencioso
Dói
Dor intensa
Nossa,
Não choro, não sorrio, sinto
Os meses passam
As semanas passam
Os dias passam
As horas passam
E continua a mesma coisa
O vazio
A dor
A solidão
A solitude
Olho para o teto vazio e escuro e nada vejo
Vejo amargura, se possível ver
Mas, algo eu digo
Eu sinto
Ou, nada sinto
Só existo


Biografia:
AMARAL, G P
Número de vezes que este texto foi lido: 33770


Outros títulos do mesmo autor

Poesias DEVASSIDÃO Gabriel Pereira do Amaral

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 11 de um total de 11.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Transparente - Maria 33757 Visitas
Progenitora e suas pérolas - fernanda teixeira mayora 33757 Visitas
Amar - Thais 33757 Visitas
NASCER - VLADIMIR SATURNINO BARBOSA 33757 Visitas
VOLTAR ATRÁS! - João Bosco Monferron Pires da Silva 33757 Visitas
A fuga dos sentimentos - Maria 33757 Visitas
CONFLITO ATÔMICO - LAÉRCIO LEMMOS 33757 Visitas
Eu e o Homem - Cecília Oliveira 33757 Visitas
Amigo - Antonio Ayrton Pereira da Silva 33757 Visitas
BALADA DO MAR - Luisa 33757 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última